quarta-feira, 31 de maio de 2017

Desabafo


Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

Aprender na marra


Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

Amor solitário


Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Conquistando o impossível

Bem aventurado...

Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação, porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam.
(Tiago 1 : 12)



fonte
por Dani Franco
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

Para nosso Deus você é uma flor!

Se você fosse uma rosa e Deus seu jardineiro?

Será que Ele cuidaria de você?
Será que Ele deixaria os espinhos tomar conta de você?
De uma forma tal que você não conseguisse sair?

Deus cuida de você a cada dia, para Ele você é muito mais que uma flor delicada...
Você é especial para Ele...
Você é a obra prima de Deus...
É um ser moldado com suas mão poderosas...

Você é um presente de Deus...
Por mais que tenha em nossas vidas caminhos de espinhos,
Deus cuida de cada um, para que não se machuque...
Você é especial para Deus...



fonte
por Dani Franco
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

Nunca enganes a ninguém


Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

domingo, 28 de maio de 2017

Depoimento de Jonas após sua desencarnação

“Vou pedir para ter em tenra idade, bronquite, isto me manterá afastado do fumo.

Fumei muito na encarnação passada, fui escravo do vício, arruinei minha saúde. Desencarnei e fiquei desesperado para fumar. Fui socorrido, logo após meu desencarne fui a um posto de socorro, não quis ficar lá e passei a vampirizar para ter a sensação de que fumava. Como fui infeliz, era um trapo humano, sofri nas mãos de espíritos maus, vaguei sem sossego, sofri dores e humilhações! Um dia, cansado, orei muito e senti necessidade de abandonar de vez o fumo, fortaleci-me nas orações e consegui.”
(Do livro: Reconciliação)


Temos duas observações a fazer:

1ª) Quem fuma comete suicídio. Aquilo que causamos, de bom ou de mal, a nós, ao próximo ou a qualquer fruto da criação divina, sentiremos o efeito, nesta ou em outra encarnação. Por exemplo: o usuário de cigarro lesa vários órgãos do corpo físico, um deles é o pulmão. Este órgão, então, se foi o mais lesado, poderá desencadear problemas pulmonares. Se isto não ocorrer nesta encarnação, numa próxima, poderá vir sensível a doenças como: câncer, asma, bronquite, etc. Os que não abusam da saúde e tem várias doenças estão, provavelmente, colhendo o que plantaram. E os que abusam da saúde e passam pela vida saudáveis, estão plantando. Se assim não fosse, Deus seria injusto. Por exemplo: Como pode uma criança nascer precisando de transplante de fígado e, um adulto usuário de bebidas alcoólicas ser saudável? Como costumamos dizer, um está colhendo (porque a criança é um Espírito velho em corpo novo), e o outro está plantando (o adulto). Como nos foi avisado: "O plantio é livre mas a colheita é obrigatória".

2ª) Outro fator que precisa ser esclarecido para o fumante inveterado: ele raramente fuma um cigarro sozinho. Segundo André Luiz: "Há espíritos que, devido a falta de conhecimento do mundo espiritual, ficam por muito tempo ligados a prazeres e hábitos terrenos, como vícios, fome, sede, etc." Este fenômeno chama-se vampirismo.
Este assédio perdura até que a pessoa tome a decisão sincera de parar de fumar, o que não é fácil.
Além da desintoxicação do organismo, é necessária a desintoxicação psíquica.
Não é somente a pressão da nicotina e do alcatrão que precisam ser combatidas, mas igualmente a do desejo, do impulso, alimentado por induções espirituais dos seus companheiros de trago que o aconselharão a não parar.

Atenção: Este alerta serve para qualquer tipo de cigarro e vícios em geral.

Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

sábado, 27 de maio de 2017

Aliens estão interferindo nas nossas ondas de rádio?


Uma busca rápida na internet é o suficiente para que você se depare com alguns casos bastante assustadores de sinais de rádio que dizem algo que não entendemos e não sabemos de onde estão sendo emitidos. E, obviamente, a questão não intriga somente meros mortais como nós. Nos últimos oito anos, astrônomos têm quebrado a cabeça para entender uma série de sinais de rádio estranhos provenientes de algum lugar no cosmos. E agora, o mistério se aprofunda.

Um novo estudo mostra que as chamadas “explosões rápidas de rádio” (na sigla em inglês, FRB de fast radio burst) seguem um padrão matemático estranhamente específico, algo “muito difícil de explicar”. “Há algo realmente interessante que precisamos entender”, diz o coautor Michael Hippke, cientista do Instituto de Análise de Dados em Neukirchen-Vluyn, Alemanha. “Isto será ou uma nova [manifestação] física, como um novo tipo de pulsar, ou, no final, se conseguirmos excluir tudo o mais, um ET”.

Contato extraterrestre
Sinais alienígenas, sério mesmo? Apesar de tal possibilidade parecer uma abstração total, um importante cientista na busca por inteligência extraterrestre (SETI, na sigla em ingês) diz que não devemos descartar essa possibilidade.

“Estas explosões rápidas de rádio poderiam concebivelmente ser ‘alertas’ de outras sociedades, tentando levar a uma resposta de qualquer vida inteligente que esteja equipada com tecnologia de rádio”, pondera Seth Shostak, astrônomo sênior e diretor do Centro para Pesquisa SETI, que não esteve envolvido no estudo. “Por outro lado, elas também poderiam ser fenômenos perfeitamente naturais e astrofísicos”.

Padrão matemático
Para a pesquisa, Hippke e seus colegas analisaram 11 explosões detectadas desde 2007, a última das quais foi capturada pelo radiotelescópio Parkes em maio de 2014.

Os cientistas analisaram um recurso específico chamado de “medida de dispersão” – que representa o diferencial de tempo entre a detecção das frequências altas e baixas de uma explosão. Frequências baixas trafegam mais lentamente pela poeira espacial e, assim, levam mais tempo do que as altas frequências para chegar à Terra. Para sua surpresa, os estudiosos descobriram que a medida de dispersão de cada pulso era um múltiplo do número 187,5.

Tal espaçamento uniforme “provavelmente não é produzido por algo como uma explosão de supernova”, afirma Hippke. “Todas as frequências deixam a nova ao mesmo tempo, e a medida de dispersão é criada pela passagem da poeira. Como a quantidade de poeira varia, a medida de dispersão pareceria aleatória”.

Para ele, os pulsos provavelmente são gerados por uma fonte ainda não identificada aqui da Terra que emite ondas de rádio de curta frequência seguidas por aquelas de alta freqüência – talvez algo tão simples como uma estação base de telefonia móvel. Se a explicação não for essa, é possível que elas venham de um tipo de objeto cósmico novo e desconhecido no espaço profundo.

Ou, para aqueles que gostam da ideia, alienígenas. [Huffington Post]

por Jéssica Maes
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

Advogado ambicioso reencarna com hidrocefalia - Irmão X


O Dr. Abelardo Tourinho era, indiscutivelmente, verdadeira águia de inteligência. Advogado de renome, não conhecia derrotas. Sua palavra sugestiva, nos grandes processos, tocava-se de maravilhosa expressão de magnetismo pessoal. Seus pareceres denunciavam apurada cultura. Abelardo se mantinha, horas e horas, no gabinete particular, surpreendendo as colisões das leis humanas entre si. Mas, seu talento privilegiado caracterizava-se por um traço lamentável. Não vacilava na defesa do mal, diante do dinheiro. Se o cliente prometia pagamento farto, o advogado torturava decretos, ladeava artigos, forçava interpretações e acabava em triunfo espetacular. Chamavam-lhe “grande cabeça” nos círculos de convivência comum. Era temido pelos colegas de carreira. Os assistentes se atropelavam a fim de atendê-lo no que desejasse. Muita vez, foi convidado a atuar, em posição destacada, nas esferas político-administrativas; entretanto, esquivava-se, porque as gratificações dum deputado eram singelas, perto dos honorários que recebia. Seus clientes degradantes eram sempre numerosos. Sua banca era freqüentada por avarentos transformados em sanguessugas do povo, por negociantes inescrupulosos ou por criminosos da vida econômica, detentores de importante ficha bancária. Abelardo nunca foi visto lutando em causa humilde, defendendo os fracos contra os poderosos, amparando infortunados contra os favorecidos da sorte. 

Afirmava não se interessar por questões pequenas.
Mas, havia alguém que o acompanhava, sem tecer elogios precipitados. Era sua mãe, nobre velhinha cristã, que o alertava, de quando em quando, com sinceridade e amor. Dizia ela:

- Abelardo, não te descuides na missão do Direito. Não admitas que a ideia de ganho te avassale as cogitações. Creio que a tarefa da justiça terrestre é muito delicada, além de profundamente complexa. Ser advogado ou juiz é difícil ministério da consciência. Por vezes, observo-te as inquietações na defesa dos clientes ricos e fico preocupada. Não te impressiones pelo dinheiro, meu filho! Repara, sobretudo, o dever cristão e o bem a praticar. Sinto falta dos humildes, em derredor de teu nome. Ouço os aplausos de teus colegas e conheço a estima que desfrutas, no seio das classes abastadas, mas ainda não vi, em teu circulo, os amigos apagados de que Jesus se cercava sempre. Nunca pensaste, Abelardo, que o Mestre Divino foi advogado da mulher infeliz e que, na própria cruz, foi ardoroso defensor dum ladrão arrependido? Creio que o teu apostolado é também santo...

O eminente advogado balançava a cabeça, em sinal de desacordo, e respondia:
- Mãezinha, os tempos são outros. Devo preservar as conquistas efetuadas. Não posso, por isso, satisfazer-lhe as sugestões. Compreende a senhora que o advogado de renome necessita cliente à altura. Alias, não desprezo os mais fracos. Tenho meu gabinete vasto, onde dou serviço a companheiros iniciantes, junto aos quais os menos favorecidos do campo social encontram os recursos que necessitam...

- Oh! Meu filho! Estimaria tanto ver-te a sementeira evangélica!...

O advogado interrompia-lhe as observações, sentenciando:
- A senhora, porém, necessita compreender que não sou ministro religioso. Não devo ligar-me a preceituação estranha ao Direito. E é tão escasso o tempo para a leitura e analise dos códigos que me não sobra ensejo para estudos do Evangelho. Além do mais – e fazia um gesto irônico -, que seria de meus filhos e de mim mesmo se apenas me rodeasse de pobretões? Seria o fim da carreira e a bancarrota geral.

A genitora discutia amorosa, fazendo-lhe sentir a beleza dos ensinamentos cristãos, mas Abelardo, que se habituara aos conceitos religiosos de toda gente, não se curvava às advertências maternas, conservando mordaz sorriso ao canto da boca.
A experiência terrestre foi passando devagar, como quem não sentia pressa em revelar a eternidade da vida infinita.

A Senhora Tourinho regressou à espiritualidade, muito antes do filho.

Abelardo, todavia, jamais cedeu aos seus pedidos.
E foi assim que a morte o recolheu, envolvido em extensa rede de compromissos (com a lei divina). Compreendeu, tarde demais, as tortuosidades perigosas que traçara para si mesmo. Muito sofreu (no umbral) e chorou nos caminhos novos. Não conseguia levantar-se, achava-se caído, na expressão literal. Crescera-lhe a cabeça enormemente, retirando-lhe a posição de equilíbrio normal. Colara-se à terra, entontecido e freqüentemente atormentado pelas vitimas ignorantes e sofredoras (pessoas que ele prejudicou quando os fez perder a causa tornaram-se obsessores).

A devotada mãezinha visitou-o por anos, sem alcançar resultados animadores.
Ele prosseguia na mesma situação de imobilidade, deformação e sofrimento.
A mãe, reparando na ineficácia de seus carinhos, trouxe um elevado orientador de almas à paisagem escura (umbral).

Pretendia um parecer, a fim de traçar diretrizes de ação.
O prestimoso amigo examinou o paciente, registrou-lhe as pesadas vibrações mentais, pensou, pensou e dirigiu-se à abnegada mãe, compadecido:

- Minha irmã, o nosso amigo padece de inchação da inteligência pelos crimes cometidos com as armas intelectuais. Seus órgãos da ideia foram atacados pela hipertrofia de amor-próprio. Ao que vejo, a única medida capaz de lhe apressar a cura é a hidrocefalia no corpo terrestre.

A nobre genitora chorou amargurada, mas não havia remédio se não conformar-se.
E, daí a algum tempo, pela inesgotável bondade do Cristo, Abelardo Tourinho reencarnou e podia ser identificado por amigos espirituais numa desventurada criança do mundo, colada a triste carrinho de rodas, apresentando um crânio terrivelmente disforme, para curar os desvarios da “grande cabeça”.

Escrito pelo espírito: Irmão X (Humberto de Campos)
Psicografia de: Chico Xavier
Livro: Pontos e Contos
Tema: Grande Cabeça

Observação de Rudymara: Se todos acreditassem na reencarnação, pensariam duas vezes antes de transgredir as leis de Deus. Saberiam que a lei é a de causa e efeito (o que causarmos de bom e de ruim a tudo que conviva conosco neste planeta, seja uma pessoa, um animal, a Natureza e a nós mesmos sofreremos as consequências); colheremos aquilo que plantarmos; seja nessa ou em outra encarnação, ninguém sofre a toa e, consequentemente, Deus é justo.

fonte
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

Eu Sou Espírita

Esta doutrina me explicou quem sou, de onde vim, para onde vou, e o que estou fazendo neste planeta. Ela ensinou que preciso olhar para dentro de mim, me compreender para poder compreender o próximo. Pois se eu tenho meus conflitos, falhas, erros, dificuldades, defeitos, com certeza todos que convivem comigo neste mundo, também têm. 

Ensinou que livre arbítrio não é propriedade minha, mas de todos, por isso devo respeitar quando alguém pensa e age diferente de mim. Não tenho o direito de impor nada a ninguém. E quando uso mal este livre arbítrio haverá uma consequência que terei de reparar pois o plantio é livre mas a colheita é obrigatória. Que todas as religiões são boas e devo respeitá-las. Que a salvação não depende de religião, mas da pratica da caridade conosco e com o próximo. 

Que o próximo é qualquer pessoa que convive conosco neste planeta, seja ele de outra religião, de outra raça, heterossexual ou homossexual, rico ou pobre etc… Que caridade não é só a esmola, mas também a tolerância, a paciência, o abraço amigo, a mensagem consoladora, a visita ao doente, uma prece etc… Que ser cristão vai além de cultos externos, de rótulo religioso, de declarações de amor vazias sem a pratica dos ensinamentos do Cristo, enfim, que a fé sem obras é morta. 

Ensinou que Jesus não é visto apenas com interesse de pedir, mas de ensinar e que serve de guia e modelo a ser seguido. Com esta compreensão de saber que cada um está num grau de evolução, que todos temos um passado reencarnatório que está presente nesta encarnação, que estamos resgatando, reparando erros, que convivemos na família com afetos e desafetos para aprendermos a amar, para nos reconciliarmos e perdoarmos, me alivia e da forças para seguir em frente e tentando ser hoje melhor do que fui ontem e tentar ser amanhã melhor do que fui hoje !!!

Rudymara
fonte:grupoallankardec.blogspot.com.br
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

"Pensamento do dia:

Eu não tenho forças para suportar o que está acontecendo na minha vida.

Quando você está envolvido mentalmente e emocionalmente a uma situação negativa é natural que não encontre forças para se livrar dela. Só que não encontrar é diferente do que não ter. Você deve ter em mente que Deus não coloca fardos pesados em ombros leves, ou seja, você tem força para suportar e vencer qualquer energia negativa que está fazendo parte da sua vida. 

O que está acontecendo é o não reconhecimento da bagagem espiritual que você tem em função do desgaste energético que vem sofrendo. Assim como você construiu essa realidade negativa (mesmo que inconscientemente) você pode desconstruí-la. Comece a direcionar os seus pensamentos para a força espiritual que você tem ao invés de direcionar para a carência. 

É tirar o peso enérgico do que está te consumindo. Se está difícil, pense no que te dá prazer e direcione o foco para isso. Assim você estará alimentando a sua alma com energias positivas ao invés de desgastar a sua energia. Afirme-se capaz, independentemente do que está vivendo, porque você faz parte da energia universal."

Eduardo Gonçalves de Paiva
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

A vida é feita de momentos


Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Sinais de rádio misteriosos são detectados vindo de um lugar desconhecido no universo

Um estranho fenômeno apelidado de “explosões de rádio rápidas” foi detectado pela primeira vez ao vivo, por astrofísicos na Austrália.

Esse evento, descrito como um flash extremamente curto (de apenas alguns milissegundos) e intenso de ondas de rádio vindo de uma fonte desconhecida no universo, tinha sido descoberto por acaso em 2007 por meio dos dados do Radiotelescópio Parkes, da Austrália e do telescópio de Arecibo, em Porto Rico.

10 descobertas espaciais bizarras e inesperadas
Desde então, os pesquisadores procuram entender o que o causa, e recentemente conseguiram desenvolver uma técnica de pesquisa para observar essas explosões em tempo real.
A observação

Um grupo de astrônomos liderado por Emily Petroff da Universidade de Tecnologia de Swinburne em Melbourne, na Austrália, analisou a primeira explosão de rádio rápida ao vivo usando o telescópio Parkes.

As características do evento indicaram que a origem da explosão foi a cerca de 5,5 bilhões de anos-luz da Terra.

Uma vez identificada a localização da explosão, uma série de outros telescópios ao redor do mundo foram alertados, ambos no solo e no espaço, a fim de fazer observações de acompanhamento.


“Usando o telescópio espacial Swift, pudemos observar a luz na região de raios-X e vimos duas fontes de raios-X nessa posição”, explica Daniele Malesani, astrofísica do Instituto Niels Bohr da Universidade de Copenhague (Dinamarca).

Em seguida, as duas fontes de raios-X foram observadas pelo Nordic Optical Telescope em La Palma, nas Ilhas Canárias.


“Pudemos ver que havia dois quasares, isto é, buracos negros ativos. Eles não tinham nada a ver com as rajadas de ondas de rádio, mas estavam localizados na mesma direção”, explica o astrofísico Giorgos Leloudas da Universidade de Copenhagen e do Instituto Weizmann, em Israel.

Avanços
Apesar de todas essas observações em vários comprimentos de onda – luz infravermelha, luz visível, luz ultravioleta e ondas de raios-X -, os pesquisadores descobriram muito pouco sobre o fenômeno.

E o maior mistério do universo é…
Eles não sabem ainda o que ele é, apenas o que não é. “A explosão poderia ter arremessado tanta energia em poucos milissegundos quanto o sol em um dia inteiro. Mas o fato de que não vimos luz em outros comprimentos de onda elimina uma série de fenômenos astronômicos que estão associados a eventos violentos, tais como explosões de raios gama de estrelas e supernovas, candidatos para explicar a explosão”, argumenta Malesani.

Agora, os cientistas vão seguir uma pista deixada pela explosão para tentar entendê-la. O Parkes capturou polarização da luz – a direção na qual as ondas eletromagnéticas oscilam, que pode ser linear ou circular -, e o sinal a partir da explosão de ondas de rádio foi mais do que 20% polarizado circularmente, o que sugere que existe um campo magnético na vizinhança.

“A teoria atual é que a ‘explosão de rádio rápida’ pode ser ligada a um tipo de objeto muito compacto, tais como estrelas de nêutrons ou buracos negros, e as rajadas podem ser conectadas a colisões ou sismos estelares”, diz Malesani. [Phys]

por: Natasha Romanzoti
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

Pai espanca filha por se recusar a negar Jesus



Uma menina cega que mora em Lombok, Indonésia e que se converteu ao cristianismo graças ao testemunho de um missionário local se recusou a renunciar ao nome de Jesus Cristo, apesar de contínuos espancamentos e ameaças realizados por sua família hindu. Andria têm 26 anos e perdeu a visão com 17 anos devido ao glaucoma. Ela chegou a entrar em profunda depressão. “Eu senti que Deus não estava sendo justo comigo”, disse a jovem ao site do Ministério Portas Abertas, explicando que seu diagnóstico a forçou a abandonar seu sonho de se tornar escritora. "Eu era uma fiel hindu, meu pai era um sacerdote e eu ia para o templo mais do que qualquer outra pessoa. Eu fiz todos os rituais e passei a odiar todas as outras religiões. Foi por isso que fiquei tão zangada com Deus, por me deixar ficar cega". Durante quatro anos, Andria viveu em desespero e chorava o tempo todo. No entanto, tudo isso mudou em 2008, quando ela conheceu um vendedor de vegetais que lhe disse que "alguém" a amava. Andria ficou surpresa com essas palavras, e ela perguntou sobre esse "alguém" que o vendedor mencionou. À tarde, ele veio com um missionário local que compartilhou o Evangelho com ela. Transformação Pela primeira vez em sua vida, Andria se sentiu amada, e pouco depois foi batizada. Após sua conversão, a jovem passou a se encontrar regularmente com o missionário local, leu a Bíblia e aprendeu sobre Jesus. À medida que aprendia mais sobre seu amor de Cristo, sua vida mudava. "Jesus me ama, não importa o que aconteça comigo. Se Ele permitiu que eu ficasse cega, Ele tem um propósito para isso. Eu não orei para que Ele me curasse, porque Ele deve ter um grande plano por trás disso", disse Andria. Embora cheia de alegria, ela era incapaz de compartilhar sua fé recém-descoberta com sua família. O Portas Abertas observou que que os hindus têm regras rígidas que punem aqueles que deixam a religião por outra. Os crentes acabam perdendo suas famílias, herança e seu lugar na aldeia por seguir a Jesus Cristo. "Eu não contei a ninguém sobre minha conversão", lembrou Andria. "Meu pai era um sacerdote hindu e meu tio também era, só meu irmãozinho sabia disso, e ele também se tornou cristão, antes de ir começar a trabalhar em outra ilha. Eu não contei a minha mãe, porque ela tinha se separado De meu pai", explicou. Espancamento Ficou claro que Andria tinha mudado, embora ela não falasse de sua conversão. Depois de descobrir que tinha feito amizade com cristãos e lido a Bíblia, sua família passou a espancá-la. "Meu pai me batia quando ele ficava estressado ou quando ele não tinha dinheiro", disse ela. "Eu costumava gritar de raiva, mas agora eu mudei, mesmo que ele ainda me bata às vezes, eu posso mostrar meu respeito e amor como uma filha. Acho que ele também percebe a mudança em mim". Todos os dias, Andria ouvia um programa cristãos via rádio para ajudá-la a crescer espiritualmente. As visitas regulares do missionário também a ajudaram a aprender mais sobre a Bíblia. Andria compartilhou que está determinada a compartilhar o Evangelho com os outros. Muitos de seus amigos começaram a abrir seus corações a Jesus depois que ouviram sobre seu testemunho. Ela também compartilha com seu pai sempre que pode, apesar dos riscos. Ide A jovem disse que ela deseja levar mais hindus para Jesus, e acima de tudo, ela sonha com seu pai se convertendo a Cristo um dia. "Eu amo meu pai mesmo que ele me bata", disse Andria em lágrimas. "Eu não posso deixá-lo sozinho, ele é velho agora e pode ficar doente. Quem vai cuidar dele? Eu nunca vou deixá-lo, não importa o quão difícil seja”, disse. Os hindus representam apenas 1,7 % da população da Indonésia, onde 87,2 % das pessoas são muçulmanas e menos de 10 % são cristãs. O país ocupa o 46º lugar na lista de 50 países onde os crentes enfrentam mais perseguição.

fonte
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Pessoas-dom e dons pessoais


“E a cada um de nós foi concedida a graça, conforme a medida repartida por Cristo. Por isso é que foi dito: ‘Quando ele subiu em triunfo às alturas, levou cativo muitos prisioneiros, e deu dons aos homens’.” (Efésios 4.7-8)

Ser parte da Igreja, das pessoas que pela fé em Cristo são incluídas no Reino de Deus, encaminha-nos para viver de forma significativa e relevante no mundo. O que uma igreja, seja a nossa ou qualquer outra, pode fazer, tem limites. Mas o que a Igreja, a comunidade dos redimidos, pode fazer, não tem limites. Por isso o verdadeiro papel de uma igreja é tornar aqueles que nela congregam pessoas produtivas e operantes como parte da Igreja de Cristo. Como cidadãos do Reino de Deus. Um cristão deve ser desafiado e envolvido numa igreja, mas, sobretudo, na Igreja!

Ser parte da Igreja de Cristo torna-nos dons e leva-nos a dar sentido aos nossos dons e a receber outros! Uma pessoa-dom é alguém cuja presença por si só manifesta o Reino de Deus. Isso é possível a todos que creem, pois Deus nos sela com o Seu Espírito (Ef 1.13-14). E por meio de uma pessoa influenciada pelo Espírito Santo de Deus, Deus pode manifestar-se! Algumas vezes ela terá plena consciência disso e outras não. Mas pessoas estarão sendo despertadas para o amor de Deus e a graça de Cristo por meio dela! Pessoas se sentirão lembradas por Deus por meio dela! É nossa vocação sermos pessoas-dom! Nossas limitações não são impedimento. Nossa falta de submissão sim!

Nossos dons, nossas habilidades, recursos e posição, devem ser parte dos recursos de Deus na terra. Devemos de tal forma crer e nos relacionar com Deus que Ele possa nos colocar em missão por meio do que sabemos ou podemos fazer. Ele nos permite contribuir com Seus propósitos a partir de onde estamos e da influência que temos. É isso que caracteriza uma vida consagrada! O texto de hoje, em sua escrita original, não nos permite definir se está dizendo “deu dons aos homens” ou “deu homens como dons”. Pois certamente as duas ideias são necessárias! Portanto, seja um dom de Deus e que seus dons sejam para Ele! Amém!

fonte
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Cientistas não conseguem explicar este misterioso sinal de rádio cósmico


Talvez você já tenha ouvido falar das rajadas rápidas de rádio, ou explosões rápidas de rádio (do termo original em inglês “fast radio bursts” ou FRB). Nós já detectamos 22 delas, mas ainda não temos a menor ideia do que são, o que significam, ou de onde vieram.

A mais recente FRB registrada é a mais confusa já observada: depois de olhar para ela através da lente de 11 telescópios, os cientistas não estão nem perto de resolver o mistério.

“Nós passamos muito tempo em um monte de telescópios para encontrar qualquer coisa associada a ela. Temos novas janelas de comprimento de onda que nunca conseguimos antes, mas ainda estamos tentando descobrir de onde veio”, disse a principal autora do estudo, Emily Petroff, do Instituto Holandês de Radioastronomia, ao portal Gizmodo.
Sinais de rádio misteriosos são detectados vindo de um lugar desconhecido no universo

O que sabemos
As rajadas rápidas de rádio são explosões de energia que duram milésimos de segundo, mas são um bilhão de vezes mais luminosas do que qualquer coisa já vista em nossa galáxia.

Esses sinais misteriosos no universo já foram associados a tudo, desde micro-ondas a naves espaciais alienígenas.

Aliens estão interferindo nas nossas ondas de rádio?
Com apenas 22 FRBs confirmadas até à data, elas podem parecer raras, mas os cientistas pensam que são na verdade bastante comuns – cerca de 2.000 devem iluminar o espaço todos os dias.

A razão pela qual temos tanta dificuldade em encontrá-las é porque duram apenas cerca de 5 milissegundos, e até o início deste ano os cientistas nem sequer eram capazes de confirmar que vinham do espaço, e não da Terra.

FRB 150215
O novo estudo descreve uma explosão chamada FRB 150215, detectada em tempo real pelo radiotelescópio Parkes, na Austrália, em 15 de fevereiro de 2015.


Ela foi considerada estranha porque, ao contrário de qualquer outra FRB detectada até à data, Petroff e sua equipe foram incapazes de identificar qualquer sinal ou vestígio de luz deixada para trás, apesar de terem a observado através de vários telescópios em todo o mundo.

“A explosão foi acompanhada por 11 telescópios para procurar por sinais de rádio, ópticos, raios-X, raios gama e emissão de neutrinos. Nenhuma emissão transitória nem variável foi encontrada que fosse associada à explosão, e nenhum pulso de repetição foi notado em 17.25 horas de observação”, escreveram os pesquisadores.

Como é que algo que gera tanta energia quanto 500 milhões de sóis não têm nenhum pós-brilho?
Misteriosas ondas de rádio intrigam astrofísicos

Não para por aí
A segunda razão pela qual FRB 150215 é estranha é que não deveria ter sido detectável a partir da Terra, dada a direção densa no espaço da qual estava vindo.

Petroff mediu a polarização de FRB 150215, e um aspecto dessa medição – uma quantidade chamada de “medida rotacional” – mostrou à equipe por onde o sinal passou.

Em uma área tão densa do espaço, os cientistas estavam esperando muita interferência magnética e, portanto, uma alta medida rotacional, mas o oposto ocorreu.

Os pesquisadores tiveram muita sorte, porque a rajada passou por algum tipo de “buraco” na Via Láctea que também tinha uma medida rotacional de zero.

Sondas alienígenas podem estar tirando energia de rajadas rápidas de rádio?

Em busca de mais pistas
A chave para desvendar o mistério das FRBs parece ser o tamanho da amostra. Por enquanto, só vimos 22 delas, e os cientistas vão precisar de muito mais para descobrir de onde elas vêm.

É preciso notar também que o trabalho recente ainda não foi revisto por pares, de modo que as interpretações dos dados podem mudar à medida que mais pesquisadores os analisem. Ou ficar ainda mais estranhas. [ScienceAlert]

fonte
por Natasha Romanzoti
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

Maior estudo científico sobre vida após a morte revela fatos extraordinários!


O que até então era apenas questão de fé agora parece que está entrando no campo científico.
Um grupo de cientistas da Universidade de Southampton, na Inglaterra, investiu numa intensa pesquisa, durante quatro anos, com 2.000 vítimas de parada cardíaca, em 15 hospitais no Reino Unido, Estados Unidos e Áustria. A grande questão do estudo gira em torno da vida pós-morte.

Será que ela realmente existe?
Para a maioria, não há dúvida. No entanto, a ciência só agora resolveu estudar o caso. Neste post, estaremos compartilhando os resultados da maior experiência médica sobre a relação “vida-morte”.
Descobriu-se que 40% das pessoas que foram consideradas clinicamente mortas haviam desenvolvido algum tipo de consciência, antes mesmo do coração voltar a bater. Um paciente até relatou que seu espírito havia deixado o corpo, enquanto observava tudo o que acontecia na sala hospitalar. Não pense que para por aqui: há muitos testemunhos iguais, como o de uma assistente social de 57 anos.
Ela disse, com riqueza de detalhes, tudo o que viu e ouviu durante os três minutos em que esteve “morta”.
Para surpresa de todos, descreveu o comportamento da equipe de enfermagem e até o barulho das máquinas durante o processo. O dr. Sam Parnia, que liderou o estudo, nos lembra que é impossível o cérebro continuar funcionando se o coração não estiver batendo. É justamente essa a causa de todo o mistério: como essas pessoas continuaram conscientes depois que o coração parou?

De 2.060 pacientes com parada cardíaca que foram estudados, apenas 330 sobreviveram.

E, de 140 entrevistados, 39% relataram uma experiência de observação consciente, enquanto estavam dados como mortos. Nem todos conseguiram descrever detalhadamente tudo o que viram e ouviram, mas pelo menos um em cada cinco entrevistados disse que sentiu uma paz diferenciada. Por outro lado, quase um terço relatou que o tempo acelerou demais ou ficou mais brando. Fora isso, houve lembranças sobre uma luz brilhante, sensação de medo, como afogamento em águas profundas e até mesmo da alma saindo do corpo. Cada pessoa teve uma experiência única.

Para o dr. Parnia, as experiências perto de pós-morte são comuns, mas as drogas ou sedativos podem impedir que elas sejam lembradas quando as pessoas voltam à vida. O médico também relata que muitas pessoas que dizem ter vivido algo incomum atribuem a experiência a alucinações ou ilusões, mas elas são reais. Com isso, ele conclui que o assunto não pode ficar “engavetado”. O dr. David Wilde, psicólogo e pesquisador da Nottingtham Trent University está trabalhando duro, analisando os relatos dos paciente para encontrar um padrão entre os fatos. Dependendo dele, as pesquisas também continuam. Afinal, nunca se esteve tão próximo de comprovar que existe uma matéria espiritual em nosso ser. Mas ele reconhece que ainda há muito a ser descoberto: "Nós simplesmente não sabemos o que está acontecendo. Nós ainda estamos muito no escuro sobre o que acontece quando morremos. Espero que este estudo ajude a trazer uma luz científica sobre o fato”.

O estudo foi publicado na revista inglesa Resuscitation.

Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

terça-feira, 16 de maio de 2017

Membros de um corpo


“Como prisioneiro no Senhor, rogo-lhes que vivam de maneira digna da vocação que receberam. Sejam completamente humildes e dóceis, e sejam pacientes, suportando uns aos outros com amor. Façam todo o esforço para conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz.” (Efésios 4.1-3)

A natureza da vida cristã é comunitária. Somos alcançados pela misericórdia e graça de Deus e isso nos faz parte de Seu Reino, em que temos um lugar e uma função. Juntamente com outros que igualmente foram alcançados e incluídos, formamos uma nova comunidade para servir, amar e honrar a Deus. O apóstolo diz que devemos viver de maneira digna dessa vocação que recebemos. Portanto, precisamos aprender a viver essa nova perspectiva de vida. Não ser mais apenas um “eu”, mas apender a ser um “nós”, por razões de fé.

Para isso são necessárias algumas virtudes que precisarão ser desenvolvidas em nossa vida. Afinal, pela fé em Cristo formamos um corpo. Esta é a metáfora que Paulo usa em outra de suas cartas. Temos diferentes funções, dons e vocações, mas somos um só corpo! (1Co 12.12). Devemos ser humildes e dóceis, pacientes e aprender a suportando uns aos outros com amor. Sem essas e outras virtudes, como as relacionadas na lista do fruto do Espírito (Gl 5.22), nos tornamos um problema em meio à comunidade e não uma benção. E fomos chamados para sermos bênçãos, uns para os outros e uns com os outros!

A vida exige esforços dos mais variados tipos e a jornada espiritual também exige que nos esforcemos. “Façam todo esforço para conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz”, escreveu o apóstolo. Para vivermos essa experiência de ser parte do corpo de Cristo na história, precisaremos nos esforçar, pois muitas forças nos impelirão em outra direção. Mas lembremo-nos do chamado que recebemos em Cristo e ocupemos nosso lugar em seu corpo. Você está no seu devido lugar no corpo do qual Cristo nos faz a todos pertencer? Isso é importante. Para você e para o corpo!

fonte
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Terapia transpessoal, o que é?


A Terapia Transpessoal é uma abordagem terapêutica que transcende a personalidade ordinária e busca no espirito (consciência), que independe de religião, respostas e caminhos para que possamos nos reintegrar a luz, o amor e o equilíbrio que são parte de nossa natureza intima.

É uma base terapêutica incrível nas mãos de qualquer profissional da área da saúde, além de enriquecer a vida de qualquer pessoa independente de sua formação e ocupação profissional.

Através desta visão, trabalhamos a cura do espírito que se manifesta como personalidade. Ela nos auxilia a vencer nossos auto limites e outros desequilíbrios , como nosso vazio, solidão ou violência, elementos que nos distanciam da leveza, equilíbrio, felicidade e saúde.

Através da visão da terapia transpessoal na educação, organizações, medicina e saúde, se propõe uma nova postura onde possamos caminhar mais próximos de nossos potenciais interiores e utilizá-los de forma interdependente.

Interdependência é o equilíbrio entre independência e dependência. Você reconhece seus próprios potenciais e capacidades e também os potenciais e a capacidade do outro, desta forma, podemos entender que a soma das forças é sempre superior as forças isoladas.

Esta postura interdependente permite cuidar com maior efetividade do mundo em nosso entorno e propor alternativas para a vida mais afinadas com nosso coração e com necessidades conscienciais que nem mesmo sabíamos que nos moviam ou faziam diferença para nós.

Para quem busca autoconhecimento a terapia transpessoal é sem dúvida uma base para profunda analise ou auto analise consciencial, pois nos conduz a conhecer e transcender os limites daquilo que conhecemos ordinariamente a respeito de nós mesmos e de nossa vida.

Na visão transpessoal, por exemplo, não existe doença, mas sim um ser doente, que muitas vezes falhou ou esta falhando, temporariamente, na realização de sua integração com sua própria consciência profunda.

Na Terapia Transpessoal são utilizadas muitas ferramentas de analise e equilibradoras, indo de conceitos hoje explorados pela física quântica até os da medicina oriental.

Hipnose, Terapia de Vidas Passadas, Terapias Vibracionais, Florais em geral, Terapias Espirituais são exemplos de técnicas utilizadas nas terapias transpessoais.

Para quem deseja se tratar como ser integral ou se autoconhecer é sem dúvida uma oportunidade única.

Cadu Borbolla – Terapeuta
por Ana Maria Teodoro Massuci
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

sábado, 13 de maio de 2017

Estudo encontra ligação entre fundamentalismo religioso e dano cerebral


Um novo estudo da Universidade Northwestern, nos EUA, descobriu que o dano em uma certa região do cérebro está ligado a um aumento no fundamentalismo religioso.

Em particular, lesões no córtex pré-frontal dorsolateral reduziram a flexibilidade cognitiva dos indivíduos, ou seja, a capacidade de desafiar as crenças com base em novas evidências.

Os pesquisadores deixaram claro que não estão afirmando que pessoas religiosas em geral são mentalmente inflexíveis, ou que crenças religiosas são causadas por danos cerebrais.
Segundo eles, existem muitos processos cognitivos envolvidos na formação de crenças. No entanto, em algumas pessoas, o sistema de “revisão” dessas crenças pode ser suprimido devido a danos cerebrais.

Fundamentalismo religioso poderá ser considerado doença mental

O método
Os pesquisadores, liderados por Jordan Grafman, utilizaram dados coletados sobre veteranos americanos da Guerra do Vietnã. Eles compararam os níveis de fundamentalismo religioso entre 119 veteranos que tiveram lesões cerebrais, e 30 veteranos que não tiveram lesões.

“A variação na natureza das crenças religiosas é governada por áreas cerebrais específicas nas partes anteriores do cérebro humano, e essas áreas estão entre as mais recentemente evoluídas”, disse Grafman.

Danos nessas regiões, em particular no córtex pré-frontal dorsolateral, podem determinar a abertura mental de uma pessoa. Tal abertura é necessária para apreciar a “diversidade do pensamento religioso”.

Em outros estudos, os cientistas já tinham descoberto uma função cognitiva do córtex pré-frontal em experiências espirituais.


Fundamentalismo

Os pesquisadores definem o fundamentalismo como uma abordagem cognitiva que “encarna a adesão a um conjunto de firmes crenças religiosas defendendo verdades inatacáveis sobre a existência humana”.

Em seu artigo, eles escrevem que o apelo do fundamentalismo – ou seja, o motivo pelo qual algumas pessoas se envolvem com essa maneira tão rígida de pensar – está na promoção de um senso de “coerência e previsibilidade” dentro de um grupo religioso.

Carl Sagan – Contra a força das superstições e fundamentalismo
As pessoas em grupos fundamentalistas tendem a valorizar o forte compromisso com sua comunidade e a rejeição de outras crenças, muitas vezes combinadas com a negação da ciência e a violência.


Limitações

Os próprios cientistas reconhecem as limitações de seu estudo e pedem que mais pesquisas sejam feitas sobre o assunto. Grafman observa, por exemplo, que a amostra de indivíduos – formada apenas por homens adultos veteranos de guerra – certamente não é representativa de todos os grupos demográficos e culturais.

No entanto, o estudo contribui para um crescente corpo de conhecimento sobre como as experiências religiosas são formadas no cérebro.
“Precisamos entender como as crenças religiosas são distintas das crenças morais, legais, políticas e econômicas em suas representações no cérebro, a natureza da conversão de um sistema de crenças para outro, a diferença entre crença e agência e a natureza da profundidade de conhecimento que os indivíduos usam para acessar e relatar suas crenças”, acrescentou.

O estudo foi publicado na revista Neuropsychologia. [BigThink]

por Natasha Romanzoti
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

“Na volta de Jesus muitos cristãos não o reconhecerão”, diz teólogo


“Quando o Messias judeu veio ao mundo, a grande maioria dos judeus que deveriam segui-lo não o reconheceu. E quando Ele voltar, os cristãos que dizem segui-lo cometerão o mesmo erro?”, esse é o questionamento de Joseph Farah, teólogo especialista em escatologia.

O site fundado por ele, World News Daily, é um dos canais de informação com enfoque cristão mais acessados do mundo, com média de 8 milhões de visitantes mensais. Além disso, ele comanda uma editora que produz uma revista, livros e DVDs focados no estudo do Final dos Tempos e no Apocalipse.

Durante uma entrevista para Paul McGuire na rede cristã GodTV, o estudioso fez uma série de considerações de como a volta de Jesus será muito diferente do que a maioria das igrejas prega.

“Quem é Jesus e como ele vai voltar?”, perguntou Farah. “A maioria dos judeus não o reconheceu como seu Messias por que tinham uma expectativa diferente sobre a vinda do seu Messias. Eles estavam muito focados no ensinamento dos homens, ao invés de olhar para as Escrituras. Acredito que muitas pessoas que vão à Igreja também não irão entender as coisas quando ele voltar”.

Falando sobre seu novo livro, “A Restituição de Todas as Coisas”, o teólogo diz que decidiu escrever sobre um dos grandes mistérios das Escrituras: o Reino Milenar. O autor acredita que os crentes precisam ser melhor ensinados sobre como tudo isso está ligado a Israel, para que não sejam enganados.

“Esse judeu vai voltar, sobre o Monte das Oliveiras, como foi profetizado. Ele estabelecerá seu reino em Israel. O mundo inteiro terá como centro a Terra Prometida”, destaca. E vai mais longe: “Qual é a base de nossa fé em Jesus? São as profecias hebraicas que anunciavam como Ele viria, quando viria, onde viria e tudo mais. Mas acho que muitos cristãos sequer compreendem por que quando Jesus voltar ele reinará a partir de Israel”.

Para Farah, escatologia e profecia são questões muito importantes, pois têm destaque nas Escrituras. Segundo o especialista, todos os crentes deveriam reexaminar suas convicções de fé. “Mais de um bilhão de pessoas no mundo afirmam ser cristãos. Quantos desses são cristãos autênticos?”, questiona.

Teologia da Substituição
Sua compreensão é que a profecia não trata apenas do futuro. Trata-se também de estudar as Escrituras para compreender o que acontecia antes do cristianismo. O teólogo diz que, como nossas raízes são hebraicas, a Igreja jamais poderia ter aceito a “teologia de substituição”, segundo a qual Deus “trocou” Israel pela Igreja e tudo agora é espiritual, perdendo seu aspecto histórico e geográfico.

Seu pedido é que a Igreja volte a olhar para Israel pelas “lentes” da Palavra e parem de rejeitá-lo e ir contra ele. Afinal, os profetas foram bem específicos quanto ao que há de acontecer em Israel nos últimos dias e só existe um lugar na terra com esse nome.

Portanto, não deveríamos deixar questões políticas ou de “interpretação” se tornarem mais importantes do que aquilo que a Bíblia diz. Em seu entendimento, nenhum cristão deveria ser contra os judeus ou contra o Estado de Israel.

“Sinto o Espírito Santo me levando a reconectar cristãos com suas raízes hebraicas, porque fomos enxertados nas promessas concedidas à Casa de Israel através de nossa fé em Jesus”, lembrou.

“É algo tão simples e importante para os cristãos entenderem. Jesus não veio para começar uma nova religião. Ele pregou apenas à Casa de Israel durante seu ministério terreno. Os gentios reconheceram que podiam fazer parte disso e é uma bênção para nós até hoje”, assevera.

Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

Que consequências tem para o Espírito o aborto?

N. de A. K.: O texto colocado entre aspas, em seguida às perguntas, é a resposta que os Espíritos deram.

357. Que consequências tem para o Espírito o aborto?

“É uma existência anulada e que ele terá de recomeçar.”

358. Constitui crime a provocação do aborto, em qualquer período da gestação?

“Há crime sempre que transgredis a lei de Deus. Uma mãe, ou quem quer que seja, cometerá crime sempre que tirar a vida a uma criança antes do seu nascimento, pois está impedindo uma alma de passar pelas provas de que serviria de instrumento o corpo que estava se formando.”

O Livro dos Espíritos de Allan Kardec
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

terça-feira, 9 de maio de 2017

Ando devagar porque já tive pressa


Ando devagar porque já tive pressa... Pressa de ter tantas coisas, de chegar a tantos lugares, pressa do ter, do parecer.

Mas hoje ando a passo lento, pois já entendo que a vida é uma busca de si mesmo, do ser: ser melhor, ser amável, ser amigo, ser sensível, ser compassivo, ser caridoso...

Hoje compreendo que é preciso paz para poder sorrir, pois o sorriso verdadeiro, a felicidade autêntica, vem da paz de espírito, a paz de consciência, de quem segue o caminho do bem a todo custo.

Entendo também que as chuvas são bem-vindas, e que sem elas não há floradas, pois é preciso chuva para florir.

A dor nos esculpe a alma, quando bem entendida, quando bem absorvida nos passos diários da lida.

Ando devagar porque já tive pressa... Pressa do sucesso a qualquer custo, pressa de ser popular, de ser o primeiro, de agradar a todos...

Mas hoje ando tranquilo, percebendo mais as manhas e as manhãs, o sabor das massas e das maçãs, absorvendo a vida em toda sua plenitude.

O viver pode ser o mesmo, as circunstâncias podem permanecer inalteradas, mas minhas lentes são outras. Enxergo tudo de outra forma.

E o mais importante de tudo: descobri que para cumprir a vida, para cumprir meu papel, minha missão aqui, preciso compreender minha própria marcha.

Sêneca, antigo sábio, afirmou que nenhum vento é a favor para quem não sabe para onde ir. Então, compreender a marcha é fundamental. Precisamos saber para onde estamos indo, precisamos saber o que é nossa marcha, nossa vida.

Só então posso ir tocando em frente, com simplicidade e devoção, com alegria e coração.

Pois todos temos talento, todos carregamos o dom de ser capaz e ser feliz.

A felicidade não é para poucos, não, é para todos. E cada um a vai encontrando no seu tempo, no seu momento, da sua forma.

Ando devagar porque já tive pressa... Pressa de partir, já quis desistir de tudo, em alguns momentos, mas hoje ando como que em câmera lenta, com a coragem de quem quer ficar e ver tudo até o fim.

Carrego esse sorriso porque já chorei demais, mas isso não quer dizer que não voltarei a derramar alguma gota dos olhos. Significa apenas que os sorrisos serão a regra. A lágrima, exceção.

Ando devagar no passo curto dos meus filhos, pois se resolver andar acelerado, os deixarei para trás.

Ando devagar para perceber o sabiá cantador, pois se torno minha vida uma bomba-relógio, passo a não perceber a vida que passa ao largo de meus passos, e assim, os sabiás passam a não existir mais.

Ando devagar para ainda conseguir olhar onde piso, e não esmagar nada, nem ninguém com minha desatenção ou deselegância.

Ando devagar para pensar um tanto mais antes de agir, para escolher as palavras certas, para digerir uma ideia nova, para escolher um caminho, para silenciar a mim mesmo por alguns instantes.

Ando devagar... porque já tive pressa.

A vida é especialmente rica para que se passe por ela, às pressas, sem atentar para os detalhes.

O mundo é pleno de belezas para que se o percorra aos saltos, sem nos determos a descobrir as belezas das flores, o segredo das matas, o encanto das fontes.

Pensemos nisso!

Redação do Momento Espírita, com base na
canção Tocando em Frente, de Almir Sater.
Em 9.5.2017.
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

Trilhas da Libertação

“Uma mente estúrdia, desarmonizada, em desequilíbrio, é resultado do Espírito doente, devedor. Seria incoerência encontrarmos em um calceta ou em uma vítima da consciência de culpa um estado mental harmônico. Essa distonia reflete os efeitos da conduta deteriorada, fazendo-a instrumento dos fatores degenerativos que se impõem no quadro da saúde pessoal, na condição de enfermidades reparadoras.”

Espírito Dr. José Carneiro de Campos em “Trilhas da Libertação”, obra do Espírito Manoel Philomeno de Miranda, psicografia de Divaldo Pereira Franco.
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Corrente do bem


As aulas deveriam iniciar na próxima semana, o que preocupava muito aquele menino de seis anos.
Devendo ingressar na segunda série do ensino fundamental, ele adorava ir à escola. No entanto, não tinha o material necessário.
Bom, ele guardara algo que sobrara do ano anterior: um apontador.
Vivendo com a avó, de sessenta e sete anos, que supre as necessidades básicas como catadora de recicláveis, Gabriel estava triste por não ter nem um simples caderno ou lápis.
Naquela manhã, bem cedo, ele e a avó estacionaram o carrinho em frente ao depósito de recicláveis, esperando que abrisse, a fim de entregar o que tinham recolhido e ganhar alguns trocados.

O carrinho estava muito pesado: setenta quilos de ferro.

Gabriel se sentou na calçada, examinando uma mochila velha que encontrara pela rua. Ela tinha um furo no fundo, mas, ainda assim, o garoto pensou que, talvez, pudesse utilizá-la para ir à escola.
O que colocaria dentro ainda era uma incógnita porque o dinheiro que seria recebido deveria ir para a compra de alimentos.
Não demorou muito, a alegria de Gabriel se esvaiu quando puxou a alça da mochila e ela se rompeu. Inviável a sua utilização.
Dois jovens policiais que faziam a ronda matinal acharam estranho, tão cedo, aquela senhora e o menino ali parados.

Desceram do carro e se aproximaram.

E foi assim, conversando com ambos, que eles ficaram sabendo do drama de Gabriel, o menino que desejava ir à escola mas não tinha material.
Os jovens não tiveram dúvidas. No horário do almoço, que deveria ser o do seu descanso, aproveitaram para adentrar em algumas lojas do comércio local.
Seu objetivo: pedir doações. E, na papelaria tiveram uma surpresa. O comerciante, sensibilizado pela história que eles contaram, ofertou cadernos, livros, lápis, lápis de cor, borracha e uma maravilhosa mochila.
Eles poderiam ter parado por aí, mas decidiram continuar para dar algo mais ao sonhador Gabriel.
E conseguiram roupas, tênis, tudo novinho. Um pouco aqui, um pouco ali.
Assim, no dia de ir para a escola, lá estava o menino, de camiseta e shorts azul, tênis amarelo, mochila às costas, cheia de materiais.
Quando lhe perguntaram como estava se sentindo, ele sorriu, comentou que o shorts tinha até bolsos e falou: Muito lindo!
Mas, insistiu a pessoa, se você tivesse que dizer o tamanho da sua felicidade, qual seria?
Ele abriu os dois braços e alargou ainda mais o sorriso: Tantão.

A história de Gabriel, que virou reportagem televisiva, nos emociona.
Emociona por saber de brasileirinhos que desejam estudar, aprender e ainda enfrentam dificuldades. E pensar que tantos de nós nem valorizamos os anos dos bancos escolares.
Emociona por verificar a ação de dois policiais, que se sentem responsáveis pela comunidade que patrulham e vão além do dever.
Emociona por constatar como o ser humano é bom, em sua essência. Basta que saiba de uma necessidade e se prontifica a auxiliar, o que fizeram os vários comerciantes.
Isso nos diz como é fácil fazer o bem. Basta, por vezes, a iniciativa de uma ou duas pessoas, para alterar o estado de carência de outrem, para resolver um problema, para realizar o sonho de uma criança, para iniciar uma corrente do bem.

Maravilhosa essência de seres criados pelo amor do Pai, prontos para amar.

Redação do Momento Espírita, com base na
história do menino Gabriel, da cidade
de Rio Verde, Goiás.
Em 5.5.2017.
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

90 anos de Divaldo Franco - Em entrevista inédita o médium conta um pouco sobre sua trajetória de vida


Divaldo Franco, reconhecido como um dos maiores médiuns e oradores espíritas da atualidade, completou 90 anos nesta sexta-feira (5). Com 70 anos dedicados ao Espiritismo, Divaldo, natural da cidade de Feira de Santana, publicou mais de 250 livros, de mais de 200 autores espirituais.

No dia 7 de setembro de 1947, ele fundou o Centro Espírita Caminho da Redenção. Cinco anos mais tarde, em 1952, Divaldo Franco deu início ao seu maior trabalho: a fundação, ao lado de Nilson de Souza Pereira, da Mansão do Caminho, instituição localizada no bairro de Pau da Lima, em Salvador, que acolheu e educou crianças sob o regime de Lares Substitutos. A instituição já tirou mais de 160 mil pessoas da condição de miséria extrema.

Em vinte Casas Lares, educou mais de 600 filhos, hoje emancipados, a maioria com família constituída. Na década de 60, iniciou a construção de escolas, oficinas profissionalizantes e atendimento médico.

A Mansão do Caminho é uma das principais obras de Divaldo Franco.

Atualmente, a Mansão do Caminho é um complexo educacional com 83 mil metros quadrados e 52 edificações que atende a três mil crianças e jovens de famílias de baixa renda. O complexo atende a diversas atividades socioeducacionais como: enxovais, pré-natal, creche, escolas de ensino fundamental e médio, informática, cerâmica, panificação, bordado, reciclagem de papel, centro médico, laboratório de análises clínicas, atendimento fraterno, bibliotecas e outros. Mais de 35 mil crianças passaram, até hoje, pelos vários cursos e oficinas da Mansão do Caminho. A obra é basicamente mantida com a venda dos livros mediúnicos e das gravações de palestras, seminários, entrevistas e mensagens de Divaldo.


Ao longo da vida como palestrante e conferencista espírita, Divaldo recebeu homenagens em diversos países e cidades da América do Norte, Central, do Sul, Europa e África. Ao todo, foram 20 Comendas, 334 Placas de prata, douradas e bronze, 54 Medalhas, 49 Troféus, 43 Moções de Congratulações, 187 Diplomas e Certificados e 12 Títulos Honoríficos significativos.

Destacam-se entre as homenagens o Título Honoris Causa em Humanidades, pelo Colégio Internacional de Ciências Espirituais e Psíquicas, em Montreal, Canadá, em 1991; o Decreto de Ordem do Mérito Militar, em 1997, pelo Presidente da República do Brasil; a Medalha Chico Xavier, do Governo do Estado de Minas Gerais, em 2001; o Título de Doutor Honoris Causa em Humanidades, pela Universidade Federal da Bahia, em 2002; a homenagem da Universidade Estadual de Feira de Santana, em 2002; o Título de Embaixador da Paz no Mundo, junto com o amigo Nilson de Souza Pereira, recebido em Genebra, na Suíça, em 30 de dezembro de 2005, pela Ambassade Universalle Pour la Paix; e o título de Embaixador da Bondade no mundo, recebido em 2008, em Paigton, no Sudoeste da Inglaterra, dado pelo monge tibetano Kelsang Pawo, da Fundação Kelsang Pawo, que se dedica a proteção de crianças em perigo em todo o mundo.


fonte
por Benoni Martins
Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.